WORLD BUREAU INTELLIGENCE

O WORLD BUREAU INTELLIGENCE - WBI, é uma Instância Departamental  de SERVIÇO DE INTELIGÊNCIA OPERACIONAL DE APOIO INTER-NÃO-GOVERNAMENTAL ÀS FORÇAS OFICIAIS NACIONAIS E INTERNACIONAIS DE MANUTENÇÃO DA PAZ E DA SEGURANÇA COM ÊNFASE EM DIPLOMACIA DE CAUSAS HUMANITÁRIAS, DIREITOS HUMANOS, DIREITO HUMANITÁRIO INTERNACIONAL E MEDIAÇÃO INTERNACIONAL DE CONFLITOS, ATUANDO EM MISSÃO PERMANENTE COM FINS E MEIOS ESPECÍFICOS, a integral, irrestrita e stricta disposição do Corpo Diretivo Executivo do Parlamento Mundial de Segurança e Paz, que disponibiliza às Autoridades Nacionais e Internacionais Constitucional e Legalmente Constituídas dos Países Membros com os quais o Parlamento Mundial de Segurança e Paz mantém entre Boas Relações Diplomáticas e Humanitárias, na área da Ciência e Política, cuja função principal é em Tempo Real, Articular Burocrática e Diplomaticamente com fins Humanitários primando pelo Serviço de Inteligência, na qualidade de um Organismo de Caráter Consultivo sem Personalidade Jurídica, Jurisdicionado e Integralmente Subordinado às Leis Brasileiras, como uma ATIVIDADE AUXILIAR DA JUSTIÇA.

Pelos Seus Princípios de Alto Padrão em Inteligência, firmados entre as Nações Membras, fica terminantemente proibido todas e quaisquer praticas que possam ser, associadas, correlatas, tipificada ou afins com a prática de espionagem em quaisquer âmbitos, bem aqueles nos termos da Legislação vigente na República Federativa do Brasil, bem como em outras legislações, convenções, pactos, protocolos e tratados internacionais que prescrevem sobre o modus operandi de crime de espionagem e  contra espionagem, e das boas práticas dos Serviços Legalizados  e Lícitos de Inteligência e Contra Inteligência frisando com "Fé Pública" World Parlament  of Security And Peace, que atua exclusivamente em Missão Permanente de Diplomacia em Causas Humanitárias. Seus Membros são Peritos nas mais diversas áreas, criteriosamente selecionados em rigorosíssimo Processo de Sindicância e Análise de Proficiência e Nomeados através de Portaria, cuja comunicação por dever Ético e Moral do Código Tutorial e do Regimento Interno, celebrados na forma de Convênio com os Países Membros, passa a ser automaticamente de Comunicação Obrigatória a Todas as Autoridades que mantém Relações Diplomáticas Humanitárias conosco, trabalhando sob Confidencialidade e Sigilo Profissional.

WORLD BUREAU OF INTELLIGENCY

OIT 169 - SOMOS ALVO DE AMEAÇAS POR DEFENDERMOS A SOBERANIA DO BRASI

E-mail Imprimir

Figura1

Última atualização em Sex, 20 de Junho de 2014 20:18

PRESSÕES E AMEAÇAS

E-mail Imprimir

10390226 663714850389331 8659109804937850972 n

PRESSÕES E AMEAÇAS

Última atualização em Sex, 20 de Junho de 2014 20:19

TRIBOS INDIGENAS DO BRASIL

E-mail Imprimir

INDIOS BRASIL

TRIBOS INDIGENAS DO BRASIL

Última atualização em Qui, 19 de Junho de 2014 11:52

Quando se luta por direitos Humanos, não pode a pessoa ser covarde, e arredar o pé quando surge a primeira ameaça.

E-mail Imprimir

10461838 754792334544081 1661849478 n

AMEAÇAS: SER FORMADOR DE OPINIÃO PUBLICA, PRATICANDO UM JORNALISMO INDEPENDENTE, NÃO ATRELADO A QUALQUER INTERESSE EXCUSO E COMO ATIVISTA LQUE SOMOS, NÃO NOS INTIMIDAMOS COM AMEAÇAS, POIS NOSSO AMOR PELO BRASIL E PELOS BRASILEIROS É MUITO MAIOR, E NÃO TEMEMOS O QUE ESTES MEDIOCRES POSSAM FAZER.

Última atualização em Qui, 26 de Junho de 2014 00:32

Governo brasileiro é denunciado na ONU por violação de direitos indígenas Povos Indígenas

E-mail Imprimir

ONU

www.francodarochanews.jex.com.br
Governo brasileiro é denunciado na ONU por violação de direitos indígenas
Povos Indígenas

Última atualização em Sáb, 28 de Junho de 2014 21:40

Denuncia Direitos Humanos MP denuncia Odebrecht por trabalho escravo e tráfico internacional de pessoas

E-mail Imprimir

CONSTRUTORA

FRANCO DA ROCHA NEWS, 18 DE JUNHO DE 2014 - 17H45
COLUNA ACONTECE AGORA - www.francodarochanews.jex.com.br
MP denuncia Odebrecht por trabalho escravo e tráfico internacional de pessoas
O Ministério Público do Trabalho (MPT) denunciou o grupo empresarial Odebrecht por, segundo o órgão, manter 500 trabalhadores brasileiros em condições análogas à escravidão na construção de uma usina em Angola.

Última atualização em Qui, 26 de Junho de 2014 00:34

Página 6 de 9

Você esta em: WORLD BUREAU INTELLIGENCE