Exoneração Alto Comissário de Direitos Humanos José Carlos Pereira

Dom, 05 de Abril de 2015 00:23 Acessos: 4576
Imprimir

DIREITO DE RESPOSTA.

Dentro do amplo direito do contraditório amparado pela CF Constituição Federal da República Federativa do Brasil Código Civil Brasileiro e Código Penal venho a público esclarecer as acusações a mim feitas pelo Jornalista José Carlos Pereira Expulso deste World Parlament Of Security And Peace bem como da direção do órgão por ele mesmo instituído como departamento do WPO Departamento Nacional de defesa dos Direitos e Proteção ao Consumidor WPO/DNPC protocolado no Ministério da Justiça Secretaria Nacional de Defesa do Consumidor sob no. 08001.000.369.2015/57/00005.001443/2015-62.

Tal direito de resposta se deu ao fato da exoneração junto aos órgãos oficiais onde fora acreditado processaram sua exoneração sendo que a partir de hoje onde se apresentar como Alto Comissário de Direitos Humanos e integrante do WPO/DNPC estará incurso em estelionato e falsidade ideológica.

Como Jornalista conceituado que se diz ser jamais poderia cometer essa gafe de me chamar de “bandido” quando em off no caixa de mensagens postou todos os “habeas corpus” que impetrei tendo como pacientes Presidentes de Associações Comunitárias me chantageando ao retirar sua Exoneração Cautelar senão postaria no facebook lhe respondi como não deveria nada eu mesmo printei e postei sua chantagem em meu bloco de notas que esta para consulta de todos.

Uma Radio Comunitária em questão a de Cajamar cuja lei das rádios comunitárias obriga os postulantes operarem com 25 watts de potencia estava com um link lincando para um morro onde esta operando com 2500 watts surpreendido pela Policia federal e Agentes da Anatel foi detido em flagrante por violação às leis de telecomunicação tendo eu preparado todo o projeto da emissora comunitária com projeto de engenharia transmissor de 25 watts homologado tudo dentro da lei a radio arbitrariamente lincou e operou com 2500 watts para se retratar junto a anunciantes tentou me processar por “estelionato” em dois artigos tendo o promotor após conhecer os reais fatos arquivou o processo por “falsa denuncia”, sendo que o réu era o autor da ação por violação de leis de telecomunicação não cabendo portanto as alegações do autor que já era réu na Justiça Federal.

Admiro eu um Jornalista não saber que “habeas corpus” qualquer cidadão pode impetrar em favor de terceiros postando todos os habeas corpus como se o paciente tivesse sido eu próprio o que demonstra por parte do Jornalista falta de conhecimento jurídica ou profunda ma fé.

Comunico também que esta exonerado da ABCP Academia Brasileira de Ciência Política perdendo sua cadeira de imortal que ocupava como jornalista bem como Capelão da OTH Ordem Templária Humanitária 

O  Departamento Nacional de defesa dos Direitos e Proteção ao Consumidor  ja foi dado ciência a Delegacia de Proteção e Defesa do Consumidor de São Paulo para que preserva a integridade do WPO bem como esta sendo encaminahdo ao MP Ministério Públido de Franco da Richa para arquivamento e posteriot processo.

Celso Dias Neves 

Presidente WPO / ABCP.