MADURO REJEITA LULA E FIDEL E DECLARA DILMA, A NOVA COMANDANTE DA REVOLUÇÃO BOLIVARIANA.

E-mail Imprimir

MADURO

MADURO REJEITA LULA E FIDEL E DECLARA DILMA, A NOVA COMANDANTE DA REVOLUÇÃO BOLIVARIANA.

( http://www.guiademidia.com.br/acessar-jornal-internacional.htm?http://www.vtv.gob.ve/en-vivo )

“Em pronunciamento pela TV Estatal da Venezuela, em cerimônia aberta para Embaixadores e Adidos Militares, Maduro fez um discurso, onde proclama que Dilma Rousseff, Presidente do Brasil, é a nova comandante, para a América Latina. Da Revolução Bolivariana. Rejeitou, nas entrelinhas do texto. Lula e o Comandante Fidel”

WPO – WORL PARLAMENT OF SEGURIT AND PEACE

ABCP - ACADEMIA BRASILEIRA DE CIÊNCIA POLÍTICA.

AUTOR: DR. JOSÉ CARLOS PEREIRA

ALTO COMISSÁRIO DE DIREITOS HUMANOS DO WPO

TITULAR DA CADEIRA 9

ACADEMIA BRASILEIRA DE CIÊNCIAS POLÍTICAS

PREFÁCIO

Dr. José Carlos Pereira

Desde 1979, quando o senhor Luiz Inácio da Silva, foi empossado como Secretário Geral do Sindicato dos Metalúrgicos, apreendemos naquela ocasião, que a geo política brasileira, tomaria novos rumos, haja vista o discurso pesado que se fazia, em plena ditadura militar, contra as instituições do Poder Público, bem como, das entidades privadas.

Inicia-se ali, o movimento sindical de contestação, pela Categoria dos Metalúrgicos, que na época, era a elite dos operários fabris brasileiros. Ficou difícil para os executivos das multinacionais.planejar a administração de suas empresas, pois a greve, eclodia por todos os cantos, com uma pseuda reinvidicação de aumento de salário, dentro de uma inflação galopante, que penalizava, não somente os metalúrgicos, mas toda a classe trabalhadora brasileira.

O senhor Luiz Inácio da Silva, ainda não tinha o Lula no nome, Lula era apenas um apelido, saiu para a rua, com os filiados do Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo do Campo, ia para as portas das fábricas e impedia a entrada dos funcionários, promovendo assim, a paralisação total dos estabelecimentos industriais, o que provocava um enorme prejuízo, não somente para as Empresas, mas também. Para o equilíbrio interno das finanças do Brasil, inclusive afetando, a dívida interna e externa.

Luiz Inácio tinha como oponente, o Presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo, presidido pelo Joaquinzão, figura notória como sendo um “pelego”, e não coadunava com as intenções de Luiz Inácio.

Na esteira das greves promovidas no ABCD, Luiz Inácio, parte para fundação de uma frente sindical, a qual recebeu o nome de CUT, Central Única dos Trabalhadores, o que não vingou como sendo a única, pois Joaquinzão não ficou quieto, e fundou a Força Sindical.

Ora, Luiz Inácio, era fã incondicional de Lech Walesa, presidente do Sindicato Solidariedade, que no final da Guerra Fria em 1989, tornou-se Presidente Eleito da Polônia, recebeu o Prêmio Nobel da Paz, enfim abaixo, um pouco da vida deste homem, que revolucionou o sindicalismo em todo mundo.

Lech Wałęsa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Lech Wałęsa GColIH • GColL (Popowo, 29 de setembro de 1943)1 é um político polonês e ativista dos Direitos Humanos. Foi um dos fundadores do sindicato Solidarność (Solidariedade) e presidente da Polônia, entre 1990 e 1995,1 sendo o primeiro após a derrocada do comunismo. Foi agraciado com o Nobel da Paz de 1983.

Em 1967 começou a trabalhar como electricista no estaleiro naval de Gdansk,2 onde assistiu à repressão de manifestações operárias pela força das armas. Estes acontecimentos trágicos levaram-no a lutar pela constituição de sindicatos livres no país.

Wałęsa tornar-se-ia, com efeito, fundador e líder do Solidariedade, a organização sindical independente do Partido Comunista que obteve importantes concessões políticas e económicas do Governo polonês em 1980-1981, sendo nessa altura ilegalizado e passando à clandestinidade.

Em 1980, Wałęsa liderou o movimento grevista dos trabalhadores do estaleiro de Gdansk, cerca de 17 000 que protestavam contra a carestia de vida e as difíceis condições de trabalho. A greve alargou-se rapidamente a outras empresas.

Com dificuldade, as reivindicações dos trabalhadores acabaram por ser concedidas. As reivindicações sociais dos trabalhadores tomaram consequências claramente políticas quando foi assinado um acordo que lhes garantia o direito de se organizarem livremente, bem como a garantia da liberdade política, de expressão e de religião.

O facto de ter liderado as paralisações dos grevistas e de ser católico deu a Wałęsa uma grande base de apoio popular, mas os seus ganhos tiveram um carácter efémero ante a resistência do regime. Em 13 de dezembro de 1981 o Governo impôs a lei marcial,1 e a maioria dos líderes foram presos, incluindo Wałęsa, até 14 de novembro de 1982.3 Em 8 de outubro de 1982 o Solidariedade foi considerado ilegal.4

O país passou a ser governado pelo general Wojciech Jaruzelski. A agitação operária continuou, embora de forma mais contida. Wałęsa só seria libertado em 1982. Um ano depois era-lhe atribuído o Nobel da Paz.1 Ele foi incapaz de aceitá-lo pessoalmente, temendo que o governo polonês o impedisse de voltar ao país. Então, sua esposa Danuta aceitou o prêmio em seu lugar.1

O Solidariedade saiu da clandestinidade após negociações com o Governo em 1988-1989, assim como outras organizações sindicais. Com o desmoronamento do Bloco de Leste e a liberalização democrática do regime, ficou consagrada a realização de eleições livres.

Em 9 de dezembro de 1990 Wałęsa foi eleito presidente, tendo tomado posse em 22 de dezembro de 1990.5 Em 1995 realizaram-se novas eleições presidenciais, mas Wałęsa foi derrotado por uma diferença de 3 pontos percentuais no segundo turno. Nas eleições presidenciais de 2000 não conseguiu para além de 1% dos votos, devido a uma crescente insatisfação da opinião polaca em relação às suas posições.6

A 11 de Maio de 1993 recebeu o Grande-Colar da Ordem da Liberdade e a 18 de Outubro de 1994 recebeu o Grande-Colar daOrdem do Infante D. Henrique.

Assim sendo, como dizia o animador Chacrinha, no Brasil nada se cria, tudo se copia, Luiz Inácio em tudo o que fez como dirigente sindical, buscou copiar o sindicalista Polonês.

Foi possível a Luíz Inacio, conseguir os seus objetivos de emparedamento, pelo fato de, devido o fim da Guerra Fria, o Brasil já caminhava para a passagem para o regime democrático. Um vácuo muito propício para ele, devido o momento que vivia a geo política internacional, que mudou em todos os parâmetros, com a insolvência a União das Repúblicas Socialistas Soviéticas e o comunismo ficar em baixa, e a Rússia sem um rumo certo, pois os maiores silos de armaento nuclear ficaram na Ucrânia, e por isso hoje, tenta recuperá-los, anexando a Criméia e o Leste da Ucrânia.

Tanto é que no Brasil tudo se copia, Paulinho da Força, participou da fundação da força Sindical,e agora, fundou o Partido da Solidariedade, e não se enganem, com sua postura carneiresca, pois tem as mesmas intenções de Luiz Inacio, e olhe lá, se duvidarmos, ambops almejam o Nobel da Paz, mas são muito pequenos, não chegam a estatura de Lech Valessa, um verdadeiro estadista para os Poloneses.

Entra o ano de 1989 eleições majoritárias no Brasil, Luiz Inacio tenta conseguir o feito igual ao de Valessa, candidatando-se como aspirante à Presidente do Brasil. Pesou contra ele, a desconfiança do empresariado, que investiu altas somas de dinheiro no candidato apoiado pela Rede Globo de Televisão Fernando Collor de Mello. Era a primeira disputa majoritária do PSDB, recém fundado por meio de uma divisão no PMDB, e indicou Mário Covas para o sacrifíco como candidato.

Collor ganha as eleições, mesmo que, com dificuldades. Foi traído pelo seu Tesoureiro de Campanha, uma eminência parda em seu governo, que fez história, criando o que viria a ser chamado de Mensalão no Governo de Luiz Inácio. A corrupção foi assombrosa, o desvio de dinheiro singular, um escandalo que tomou dimensões internacional. PC, o Tesoureiro de Collor, fugiu do Brasil, Cabrine, o reporter investigativo descobriu que ele esta escondido nas Filipinas, foi preso, trazido para o Brasil, e acabou assassinado junto com a sua amante em Maceió.

Luiz Inácio, como agitador nato e com o suporte dos universitários presos em 1968 em Ibiúna, criaram o Movimento Diretas Já, que partiu das Universidades em todo o Brasil., e transformou Collor numa ogeriza, que deveria ser deposto a qualquer custo do governo.

Como sempre, o Congresso Nacional tremeu em suas bases,e da mesma forma como Auro Soares de Moura Andrade, que conseguiu reunir os parlamentares em final de semana, pos em votação a renucnia de Jânio e indicou Ranieri Mazzile, como um tipo de primeiro ministro, fez o mesmo com Collor, e com a pressão popular, aumentando a cada dia, colocaram em votação a cassação do mandato de Collor, que na hora do último voto, já cassado renunciou.

O mesmo artificio usou Luíz Inácio, para os movimentos de agitação popular em Junho de 2013, desta vez usando o MPL – Movimento do Passe Livre, para protestar contra 20 centavos de Reais no aumento das passagens. O povo comum indo para as ruas, o MPL perdeu o controle do movimento, e para que não crescesse ainda mais, pois já não discutiam 20 centavos, mas sim uma reforma completa na Politica Brasileira, passaram então, a banalizar o movimento com as depredações de prédios púbicos e privados, assaltos a lojas, e só parou quando, assassinaram o Jornalista Cinegrafista da Rede Bandeirantes, nas manifestações do Rio de janeiro.

O movimento popular genuíno, sai das ruas, e os movimentos ligados ao Governo, financiados pelo BNDES – Banco Nacional de Desenvolvimento Economico e Social, o MST e suas infindas crias, parando onibus, transportes coletivos em geral, que só diminuiram as suas ações, quando quase pararalizam São Paulo, atando e incendiandos onibus nas vias públicas, tirando os motoristas, furando os pneus dos onibus, e jogando as chaves em lugares dificeis de serem cncontrados.

Estoura o ecandalo do financiamento do Porto de Cuba, o envio de reservas para a Africa, financiando vários governos de tendencias políicas duvidosas, desconfia-se ainda, que financiou a Venezuela, Honduras, Bolívia, que de assalto tmou as instalações da Petrobrás, multi nacional petroleira que investiu para construir a usina de beneficiamento de gas, e também suspeita-se do envio de reserva para a Argentina, que já se declarou uma República Bolivariana, para pagar a sua divida externa..

Muitas outras mazelas destes 12 anos de governo sob a égide de Luiz Inácio, que vão, desde favorecimento pessoal para quem esta no grupo, o avilte de intervenção do Supremo Tribunal Federal, que condenou os mensaleiros e depos soltou, o que levou a solicitação de demissão do Ministro Joaquim Barbosa, da Presidência do Supremo, a OAB entrou no Jogo, e aprovou a carteira de advogado para o ex Ministro da Casa Civil, que assumiu a criação do mensalão, lógicamente protegendo, todos sabem quem, e a negou para o Ministro Joaquim Barbosa, um Ministro que ainda é bacharel, segundo a ótica da OAB.

Chegamos a um “ Sttatus” de um Brasil falido, em suas instituições públicas e nas grandes entidades da Sociedade Civil. O Brasil está hoje, à meio passo apenas de se tornar, uma República Bolivariana, e se, uma providência não for tomada de imediato, pelas forças de Segurança acional, vai haver com certeza muitas mortes de inocentes, que pedem unicamente, justiça social.

(foto da televisão oficial da venezuelana - http://www.vtv.gob.ve/articulos/2014/10/26/comunicado-venezuela-celebra-triunfo-de-dilma-rousseff-textooficial-691.html )

O pior de tudo, no opusculo do mes de Outubro, o fanfarrão presidente da Venezuela, faz um pronucniamento deveras gravíssimo para a egemonia da América Latina, rejeita seus aliados Luiz Inácio e Fidel, e proclama, Dilma Rousseff, como a lider da América Latina, para a implantação da União da República Bolivariana da América do Sul, Caribe e Méxo, virando o mapa co contiente americano de cabeça para baixo, isolando EUA, Canada e Groelandia, ou seja, colocando-os nas solas dos coturnos bolivarianos.

Abaixo, na introdução, coloco na integra, o pronunciamento do incendiário Maduro, que coloca, a nação Brasileira, em relação a Geo Politica Mundial, em péssima situação.

O Autor.

O DISCURO DE MADURO COMENTADO PELO DR. JOSÉ CARLOS PEREIRA – TITULAR DA CADEIRA 9 DA ACADEMIA BRASILEIRA DE CIÊNCIA POLÍTICA

O caldeirão da Política Brasileira, vai ferver, haja vista, o imprudente mandatário da Venezuela, jogou toda a lenha possível, para que aumento o confrontos com os Estados Unidos da América do Norte, e joga a Presidente do Brasil como ponta de lança, para que alcance seus objetivos. Vejamops o discurso nefasto deste fanfarrão, intercalado por meus comentários.

Presidente Maduro felicita a mandataria reelegida de Brasil: Dilma ha vencido a la Guerra Sucia y la Mentira

INTERNACIONALES - hace 6 días

“Felicitaciones Dilma por tu Coraje y Valentía frente a tanta maldad. El pueblo de Brasil no le falló a la Historia, mil Abrazos de Hermandad…”, refirió el Jefe de Estado venezolano en uno de sus tres mensajes por la red social

Caracas, 26 de octubre de 2014.- El Presidente de la República Bolivariana de Venezuela,Nicolás Maduro, felicitó a la mandataria de Brasil, Dilma Rousseff, por su victoria en la segunda vuelta electoral de este domingo, que le otorga la reelección para un segundo mandato presidencial.

“Victoria de Dilma en Brasil..Victoria del Pueblo..Victoria de Lula y su Legado.Victoria de los pueblos de América Latina y El Caribe..”, escribió el Mandatario venezolano a través de su cuenta @NicolasMaduro.

Maduro utiliza o Twitter, para fazer uma saudação breve da vitória de Dila Rousseff, e delega aos povos da América Latina e do Caribe, esta vitória, como se fossem eles os elitores brasileiros

“Dilma ha vencido la Guerra Sucia y la Mentira..Pudo más la Verdad de 12 años de un Pueblo que mira al futuro con Esperanza...Felicitaciones”, escribió en un segundo mensaje, recordando la guerra sucia mediática con la que medios privados intentaron oscurecer su gestión.

Maduro aqui, diz que Dilma venceu uma guerra suja, e ataques mentirosos. Disse que, mais pode, a Verdade de 12 anos do Lulismo, cujo povo brasileiro olha, com esperança para um futuro melhor. Isto quer dizer que, o fanfarrão sabe muito mais da Política no Brasil, do que os brasileiros, principalmente os que moram nas periferias, entre a fome e a miséria, o analfabetismo, a violência, a discriminação, a xenofobia, a intolerância correlata, o tráfico de drogas, o uso indevido de substaâncias psicoativas, a corrupção, que a cada dia, é revelado a existências dela em todas as instâncias, Federal, Estadual e Municipal.

“Felicitaciones Dilma por tu Coraje y Valentía frente a tanta maldad. El pueblo de Brasil no le falló a la Historia, mil Abrazos de Hermandad…”, refirió el Jefe de Estado venezolano en un tercer tuit.

O ditador venezuelano aqui apresenta Dilma Rousseff como uma vítima de uma maldade que somente ele vê. Aventa que o povo brasileiro não falhou quanto a historia da Presidente. Este fanfarrão, não analisou, que sob um universo de mais de 150 milhões de votos, a diferença entre os dois candidatos, ao final da apuração, dado ocontigente de votos válidos, apurou-se uma ínfima diferença de pouco mais de 3 milhões de votos. Este incendiário, tenta valorizar o que não teve valor, pois o mapa de apurações, mostra de forma inequívoca que o Brasil está dividido, metade para o norte e nordeste, e a outra para o sudeste e sul.

La presidenta del Brasil, Dilma Rousseff, resultó vencedora en la segunda vuelta electoral en Brasil y obtiene su segundo mandato tras una reelección por más de 2 puntos porcentuales, frente a su rival, Aécio Neves.

Mais uma fanfarronice na condução de seu discurso. Esta diferença não se traduz, pois desconsiderou os que votaram em branco, nulos e abstenções, que quasesuperam os votos do segundo candidato. Fala somente o resultado seco, do número de votos válidos, pois se considerar os demais votos, que não foram considerados válidos, a eleição de 2014, mostrou a indignação da maioria, que somados aos votos do segundo candidato, atinge a cifra de mais de 83 milhões de votos.

De acuerdo a los primeros resultados oficiales emanados por el Tribunal Superior Electoral brasileño, y difundidos por la cadena multinaiconal Tele SUR, Rousseff obtuvo el 50,99% de los votos, mientras Aécio Neves el 49,01%, casi 2 puntos porcentuales que representan más de 2 millones de sufragios.

La diferencia, no obstante, continúa agrandándose a medida que pasa el tiempo y somn computadas nuevas actas. Al mOmento de publicar esta nota, el porcentaje se ubicada en 51,38%.

VTV/@NicolasMaduro

Esta foi a matéria do articulista da televisão da Venezuela.

A NOTA OFICIAL DE MADURO OMENTADA, OS TEXTOS EM NEGRITO É O COMENTARIO DO JORNALISTA DR. JOSÉ CARLOS PEREIRA.

REPÚBLICA BOLIVARIANA DE VENEZUELA

MINISTERIO DEL PODER POPULAR PARA RELACIONES

EXTERIORES

COMUNICADO

El Presidente de la República Bolivariana de Venezuela Nicolás Maduro Moros, a nombre del Pueblo y del Gobierno venezolano, hace llegar su más efusivas felicitaciones a la compañera Dilma Rousseff y al pueblo brasileño por el histórico triunfo electoral obtenido el día de hoy.

Maduro abre a sua nota oficial, já apontando nas entrelinhas do texto inicial, que vai envolver, não somente Luiz Inácio, Dilma, mas o Brasil nos planos revolucionários da Venezuela, um País falido, e que busca, e vai continuar buscando, levar o Gpoverno brasileiro, a investir em seu paíz, visando minorar a miséria em que vive.

La victoria de la presidenta Dilma Rousseff, es el resultado de una extraordinaria movilización de las fuerzas populares Del Brasil, que una vez más demuestran el elevado nivel de conciencia política y de compromiso con la unión de la región Suramericana, Latinoamericana y Caribeña, y que sin Duda alguna, garantizará la continuidad del proceso de construcción de la Patria Grande, como la soñaron el Libertadores Simón Bolívar y el prócer José Ignacio Abreu de Lima. 

No segundo parágrafo, ele já parte para a indução, de que o Brasil, é parte comum da Revolução Bolivariana. Para ele, o resultado das eleições de 2014 no Brasil, aconteceu, pelo fato de, houve uma grande mobilização de “forças populares” brasileiras, que mais uma vez, estas “forças”, demonstraram um elevado nível de consciência – revolucionária na entre linha - e o pior, que o resultado das eleições no Brasil.

O pior, é que neste parágrafo da nota oficial do Governo Venezuelano, da a entender que, que a vitoria de Dilma Rousseff, “firma o compromisso de união do Continente Sul Americano e do Caribe, dando a entender que, o Brasil agora, com a vitoria de Dilma Rousseff, é o líder da Revolução Revolução Bolivariana, tendo Dilma, como a condutora deste processo revolucionário

El Presidente Nicolás Maduro Moros desea manifestarle a la Presidenta Dilma Rouseff y al pueblo brasileño el mayor de los éxitos en esta nueva etapa de transformación sociopolitica y ofrece todo el apoyo y el compromiso de la Revolución Bolivariana para avanzar en la consolidación de la alianza estratégica entre Brasil y Venezuela, mediante El fortalecimiento de los planes y proyectos de desarrollo conjuntos pensados por el Comandante Supremo Hugo Rafael

Maduro se manifesta ao povo brasileiro e a Dilma, que a sua vitória, é o maior dos êxitos nesta etapa que se encerra, de transformação sócio política, oferecendo todo apoio necessário, para com a Revolução Bolivariana, buscando o avanço e consolidação da aliança estratégica com o Brasil. Para ele, é oportuno agora, com a vitória de Dilma Rousseff, “ o fortalecimento dos planos e projetos de desenvolvimento, elaborados por Hugo Chaves. Como brasileiro pergunto, que planos são esses? O Congresso Nacional, conhece estes planos? São planos revolucionários, para o estabelecimento da orcem civil no Brasil? Quem governa o Brasil, Dimla ou Maduro? São questões que tem que ser explicadas, e o Congresso Nacional, será o responsável, se no Brasil for instalado o mesmo caos que há na Venezuela.

Chávez Frías y el ex presidente Luiz Inácio Lula da Silva El Gobierno Bolivariano de Venezuela reitera SUS felicitaciones a la Presidenta reelecta Dilma Rouseff, quien junto a su pueblo sigue escribiendo la nueva historia del Brasil, país junto al cual, Latinoamérica y el Caribe se dirigen hacia la realización inexorable de un destino de soberanía, de independencia, de protección recíproca, de unidad y de paz.

Aqui ele cita, Chaves, Luiz Inácio e a si próprio como comandante em chefe das forças armadas venezuelanas, como reiteração, dos cumprimentos para Dilma Rousseff, reeleita, “que Juno com o povo, segue escrevendo a nova história do Brasil, pais este que se voltam a América Latina e o Caribe.para concluírem, realizarem, o inexorável destino de soberania, de independência, de proteção recíproca, de unidade e paz”

Aqui reside a ameaça maior. “ a qualquer contratempo que envolva o Congresso Nacional, um impedimento dela para continuar o seu governo, as tropas latino americanas e do Caribe, intervirão, dentro da perspectiva de proteção mutua”

Entendendo melhor, a partir de agora, com a eleição de Dilma, ela a coloca como chefe revolucionária bolivariana, como se, no Brasil, não houvesse em vigência o regime democrático, com todas as suas instituições funcionando. Esta nota oficial do Governo Venezuelano está parafinada, o seu discurso é muito mais forte.

O VIDEO ABAIXO É ESTAREECEDOR. Assistam com atenção. Estamos a um passo de uma revolução irreversível no Brasil.

https://www.youtube.com/watch?v=OYSWa1uPPkg#t=132

Você esta em: Notícias MADURO REJEITA LULA E FIDEL E DECLARA DILMA, A NOVA COMANDANTE DA REVOLUÇÃO BOLIVARIANA.