O BRASIL HOJE ESTÁ PIOR QUE TODO O TEMPO DECORRIDO DESDE 1955 NA POLITICA BRASILEIRA. OU AS FORÇAS ARMADAS HAJAM COM RIGOR, OU A REPÚBLICA BRASILEIRA VIRE UM ESTADO COMUNISTA. RECORDEMOS UM POUCO DAS ARMADILHAS POLITICAS. NO BRASIL.

Seg, 04 de Agosto de 2014 13:32 Acessos: 980
Imprimir

GENERAL

O BRASIL HOJE ESTÁ PIOR QUE TODO O TEMPO DECORRIDO DESDE 1955 NA POLITICA BRASILEIRA. O...

FRANCO DA ROCHA NEWS, 03 DE AGOSTO DE 2014 - 21H16

COLUNA ACONTECE AGORA - www.francodarochanews.jex.com.br

O BRASIL HOJE ESTÁ PIOR QUE TODO O TEMPO DECORRIDO DESDE 1955 NA POLITICA BRASILEIRA. OU AS FORÇAS ARMADAS HAJAM COM RIGOR, OU A REPÚBLICA BRASILEIRA VIRE UM ESTADO COMUNISTA. RECORDEMOS UM POUCO DAS ARMADILHAS POLITICAS. NO BRASIL.

UM MARECHAL HONESTO E INGÊNUO

Posted on agosto 2, 2014 by Tribuna da Internet 5 comentários

Carlos Chagas

 

O general Henrique Lott foi dos mais honestos e competentes chefes militares do Brasil. Ingênuo, também. Votou em Juarez Távora para presidente da República, em 1955, mas insurgiu-se contra a negativa de posse do candidato vitorioso, Juscelino Kubitschek, quando um bando de generais e de civis golpistas tentaram impedir sua posse. Prendeu a metade deles, menos os que eram deputados, porque detinham imunidade parlamentar. Mas assegurou o cumprimento da Constituição. Quando da sucessão de JK, viu-se feito candidato e foi um desastre como tal, especialmente porque seu adversário era Jânio Quadros, rei dos malandros. Nacionalista, Lott enfrentou o adversário com a força de sua ingenuidade e por isso perdeu a eleição.

 

Certa feita, general já promovido a marechal, desembarcou em Florianópolis, sendo recebido pelos cardeais do PSD, partido de JK, com Celso Ramos à frente. O cacique pessedista, ainda no aeroporto, apelou ao candidato para que omitisse seu programa de governo no que dizia respeito à educação. Porque Lott vinha pregando pelo país inteiro a estatização do ensino publico. Queria as escolas gratuitas e geridas pelo Estado, acabando com a exploração dos estabelecimentos privados empenhados no lucro. Celso Ramos pediu que não tocasse no tema, no comício daquela noite, porque em Santa Catarina a imensa maioria das escolas era particular, especialmente religiosas.

 

No palanque, o general falou da importância da nacionalização das atividades sociais, mas não abordou o ensino. Já terminava seu discurso e os dirigentes do PSD exultavam, pois nem uma palavra fora dita contra as escolas particulares. Agradecendo à multidão, aplaudidíssimo, Lott abraçou Celso Ramos e concluiu: “Para demonstrar que sou um candidato honesto e inflexível, que não se dobra às pressões do capital especulativo, termino respondendo a meu amigo e correligionário aqui presente. Recuso seu apelo de ignorar minha determinação relativa ao ensino público: se eleito, vou estatizar todos os colégios privados, dando ao povo condições de instruir-se sem privilégios nem explorações!”

 

Vieram as eleições e o marechal perdeu de alto a baixo em todo o estado. Os catarinenses discordaram dele.

 

Esse episódio se conta a propósito das eleições de outubro. Dilma, Aécio e Eduardo dispõem em seus programas de governo de farta argumentação favorável ao ensino público, mesmo decididos a coabitar com as escolas privadas. Perguntem o que defenderão em Santa Catarina

COM CONTEUDO TRIBUNA DA INTERNET

http://www.tribunadainternet.com.br/category/carlos-chagas/

DA REDAÇÃO DO FRANCO DA ROCHA NEWS

EDIÇÃO JORNALISTA JOSE CARLOS PEREIRA

ALTO COMISSÁRIO PARA SEGURANÇA E PAZ – WPO

OCUPANTE DA CADEIRA 9 DA ACADEMIA DE CIENCIA POLITICA

CAPELÃO TEMPLÁRIO

ORDEM TEMPLARIA HUMANITÁRIA

EMBAIXADOR DA PAZ/OERF/OPB/VAL BRASIL

Última atualização em Seg, 04 de Agosto de 2014 13:35