ONU PRESSIONA PARA INTERVIR NO BRASIL.

E-mail Imprimir

u26473351514242071337fm3

ONU PRESSIONA PARA INTERVIR NO BRASIL.

Asma Jahangir, funcionária da ONU, com sua declaração, deseja uma mudança interna em nosso País, no sentido socialista A ONU, que tem se revelado um órgão internacional fracassado para resolver problemas nos mais variados quadrantes da Terra, está empenhadíssima em intervir no Brasil. A razão parece clara: querem impor ao País um modelo socialo-comunista, a começar pela Reforma Agrária. E um passo para isso seria cercear a ação do Judiciário.

1)Em 21-10-02, o relator especial da ONU para a fome, Jean Ziegler, criticava a lei que impede fazer Reforma Agrária em terras invadidas.

2)16-9 a 14-10-03: a relatora especial sobre Execuções Extrajudiciais da ONU, Asma Jahangir, disse que “no Brasil, ainda existem forças desesperadas tentando manter o status quo”. Ou seja, ela quer mudar a situação interna do Brasil. Em que direção? Evidentemente a do socialismo que caracteriza a ONU. Clara intromissão nos assuntos internos do País. Ela vai solicitar a visita de outro relator da ONU especializado no poder judiciário, o argentino Leandro Despuis, para averiguar a independência dos juízes e advogados.

Anna Tibaijuka, outra funcionária da ONU, a propósito do tema moradia, ameaçou: uma revolução pode estourar no Brasil 3)Em 9-10-03, a diretora-executiva do Programa para Assentamentos Humanos da ONU, Anna Tibaijuka, “disse considerar a reforma agrária uma estratégia indispensável para melhorar o problema da habitação” no Brasil. Ou seja, forçando a realização da Reforma Agrária! E foi mais longe: “defendeu ainda uma reforma política, de modo a reparar a desigualdade para acesso à propriedade”. Chegou a ameaçar com uma revolução: “Caso o tema moradia não seja posto na ordem do dia, em décadas a situação ficará tão insuportável que dificilmente será possível escapar de uma revolução”. Essa linguagem lembra as velhas arengas de D. Helder Câmara, 40 anos atrás, para o qual uma revolução estouraria naqueles dias, caso não se fizesse a Reforma Agrária imediatamente.

4)Em 17-10-03, ficamos sabendo que mais um relator da ONU ameaça vir ao Brasil em março próximo. Trata-se do encarregado de “direito e moradia”, o indiano Miloon Kothari. Ele “quer saber o que o Supremo Tribunal Federal está fazendo para garantir acesso à moradia e à terra”. Está planejando passar pelas principais capitais do País para “investigar a questão da propriedade das terras, de casas” e avaliar a “distribuição de terra”.

Como se vê, é uma pressão violenta. E o pior é que parece articulada com certos setores do governo brasileiro. O secretário dos Direitos Humanos, Nilmário Miranda, anunciou que já está agendada a vinda do relator da ONU, Leandro Despuis, para averiguar as condições da Justiça e da advocacia. Enquanto isso o presidente do INCRA, Rolf Hackbart, criticou o Judiciário por dificultar a Reforma Agrária.

Breves

 

O presidente Lula terá uma conversa reservada com o ruralista Ronaldo Caiado. Preocupante! Caiado foi, na década de 80, quem favoreceu a aprovação dos dispositivos socialistas sobre a Reforma Agrária, que estão na Constituição.

O Bispo de Jundiaí (SP), D. Amaury Castanho, criticou o líder do MST, João Pedro Stédile, o que provocou as iras do presidente CPT, D. Tomás Balduíno: “Vi estarrecido as declarações de D. Amaury. Eu as considero absolutamente iníquas, infundadas e preconceituosas” (“O Povo”, Fortaleza, 25-8-03).

O governo Lula da Silva está derrubando as restrições para o repasse de recursos públicos aos cofres das entidades dos sem-terra.

Frase

 

“Os negócios de reforma agrária no Brasil são vergonhosamente políticos, mas poucos se atrevem a dizer por temerem represálias” (Uchôa de Mendonça, “A Gazeta”, Vitória, 10-9-03).

COM CONTEUDO CATÓLICO

http://www.catolicismo.com.br/materia/materia.cfm?IDmat=C7626C5B-BE34-408C-B9294E1F19ACAD54&mes=Dezembro2003

DA REDAÇÃO DO FRANCO DA ROCHA NEWS

EDIÇÃO: JORNALISTA DR. JOSÉ CARLOS PEREIRA

CIENTISTA POLITICO

ACADEMIA BRASILEIRA DE CIÊNCIAS POLITICAS – 

CADEIRA IMORTAL Nº. 9

ALTO COMISSARIO DIREITOS HUMANOS

WORLD PARLAMENT OF SECURITY AND PEACE

FRANCO DA ROCHA NEWS, 06 DE JULHO DE 2014 - 21H50

COLUNA ACONTECE AGORA - http://www.francodarochanews.jex.com.br/acontece+agora

ONU PRESSIONA PARA INTERVIR NO BRASIL.

Asma Jahangir, funcionária da ONU, com sua declaração, deseja uma mudança interna em nosso País, no sentido socialista A ONU, que tem se revelado um órgão internacional fracassado para resolver problemas nos mais variados quadrantes da Terra, está empenhadíssima em intervir no Brasil. A razão parece clara: querem impor ao País um modelo socialo-comunista, a começar pela Reforma Agrária. E um passo para isso seria cercear a ação do Judiciário.

1)Em 21-10-02, o relator especial da ONU para a fome, Jean Ziegler, criticava a lei que impede fazer Reforma Agrária em terras invadidas.

2)16-9 a 14-10-03: a relatora especial sobre Execuções Extrajudiciais da ONU, Asma Jahangir, disse que “no Brasil, ainda existem forças desesperadas tentando manter o status quo”. Ou seja, ela quer mudar a situação interna do Brasil. Em que direção? Evidentemente a do socialismo que caracteriza a ONU. Clara intromissão nos assuntos internos do País. Ela vai solicitar a visita de outro relator da ONU especializado no poder judiciário, o argentino Leandro Despuis, para averiguar a independência dos juízes e advogados.

Anna Tibaijuka, outra funcionária da ONU, a propósito do tema moradia, ameaçou: uma revolução pode estourar no Brasil 3)Em 9-10-03, a diretora-executiva do Programa para Assentamentos Humanos da ONU, Anna Tibaijuka, “disse considerar a reforma agrária uma estratégia indispensável para melhorar o problema da habitação” no Brasil. Ou seja, forçando a realização da Reforma Agrária! E foi mais longe: “defendeu ainda uma reforma política, de modo a reparar a desigualdade para acesso à propriedade”. Chegou a ameaçar com uma revolução: “Caso o tema moradia não seja posto na ordem do dia, em décadas a situação ficará tão insuportável que dificilmente será possível escapar de uma revolução”. Essa linguagem lembra as velhas arengas de D. Helder Câmara, 40 anos atrás, para o qual uma revolução estouraria naqueles dias, caso não se fizesse a Reforma Agrária imediatamente.

4)Em 17-10-03, ficamos sabendo que mais um relator da ONU ameaça vir ao Brasil em março próximo. Trata-se do encarregado de “direito e moradia”, o indiano Miloon Kothari. Ele “quer saber o que o Supremo Tribunal Federal está fazendo para garantir acesso à moradia e à terra”. Está planejando passar pelas principais capitais do País para “investigar a questão da propriedade das terras, de casas” e avaliar a “distribuição de terra”.

Como se vê, é uma pressão violenta. E o pior é que parece articulada com certos setores do governo brasileiro. O secretário dos Direitos Humanos, Nilmário Miranda, anunciou que já está agendada a vinda do relator da ONU, Leandro Despuis, para averiguar as condições da Justiça e da advocacia. Enquanto isso o presidente do INCRA, Rolf Hackbart, criticou o Judiciário por dificultar a Reforma Agrária.

Breves

 

O presidente Lula terá uma conversa reservada com o ruralista Ronaldo Caiado. Preocupante! Caiado foi, na década de 80, quem favoreceu a aprovação dos dispositivos socialistas sobre a Reforma Agrária, que estão na Constituição.

O Bispo de Jundiaí (SP), D. Amaury Castanho, criticou o líder do MST, João Pedro Stédile, o que provocou as iras do presidente CPT, D. Tomás Balduíno: “Vi estarrecido as declarações de D. Amaury. Eu as considero absolutamente iníquas, infundadas e preconceituosas” (“O Povo”, Fortaleza, 25-8-03).

O governo Lula da Silva está derrubando as restrições para o repasse de recursos públicos aos cofres das entidades dos sem-terra.

Frase

 

“Os negócios de reforma agrária no Brasil são vergonhosamente políticos, mas poucos se atrevem a dizer por temerem represálias” (Uchôa de Mendonça, “A Gazeta”, Vitória, 10-9-03).

COM CONTEUDO CATÓLICO

http://www.catolicismo.com.br/materia/materia.cfm?IDmat=C7626C5B-BE34-408C-B9294E1F19ACAD54&mes=Dezembro2003

DA REDAÇÃO DO FRANCO DA ROCHA NEWS

EDIÇÃO: JORNALISTA DR. JOSÉ CARLOS PEREIRA

CIENTISTA POLITICO

ACADEMIA BRASILEIRA DE CIÊNCIAS POLITICAS – 

CADEIRA IMORTAL Nº. 9

ALTO COMISSARIO DIREITOS HUMANOS

WORLD PARLAMENT OF SECURITY AND PEACE

Você esta em: Notícias ONU PRESSIONA PARA INTERVIR NO BRASIL.